Skip to content

The spectrum of User Experience

Filtrei UX no Pinterst e achei este interessante UX spectrum.

Gostei e compartilho. Achei muito interessante a abordagem de como as camadas se relacionam e mostram relações de tarefas e responsabilidades.

Infográficosrelacionados: http://www.informationarchitects.jp/en/the-spectrum-of-user-experience-1/

Mais inforgráficos : http://zubeta.com/infographics.html)

As carreiras possíveis na área de UX

Com o nome de “Guia de Carreiras em UX” (UX careers guide) criado por “Onward Search” você vai entender os títulos (ou posições) associadas à área de UX, os salários, os requisitos e responsabilidades. A Onward Search, empresa que faz oferta de mepregos na área, diz que houve um aumento de 171% na oferta de vagas de UX nos últimos 12 meses. Gostei muito do infográfico!

Saiba mais em: http://www.onwardsearch.com/UX-Career-Guide/

Testando o flavors.me

Mais uma forma de divulgação. Esta permite capturar dados de algumas redes sociais como blogger, Facebook, Flicker et Behance.

Seria muito bom se tivesse, também,  associação com o WordPress e LinkedIn.

Veja a página gerada no Flavors.me Irla Rebelo.

Pesquisa em Realidade Aumentada (Augmented Reality)

A Universidade do Sul da Austrália está recebendo até junho de 2011 aplicações de bolsa de doutorado para o período de 2012-2015 na área de Realidade Aumentada. Se você está intressado dê uma olhada no site do laboratório Magic Vision Lab e entre em contato com o Dr Christian Sandor. Se você está realmente interessado não pense muito. A data limite para envio de documentos encerra em 2 semanas.

The University of South Australia is receiving applications for PhD scholarships for the timeframe 2012-2015 until 24 June 2011 to research Augmented Reality . If you are interested take a look at the Magic Vision Lab website (http://www.magicvisionlab.com/) and contact Dr. Christian Sandor. Hurry up! The deadline application ends in 2 weeks.

This message was received through the “3DUI (3D User Interfaces) Mailing List” in 9 de junho de 2011.

Interaction Awards IxDA 2012

Primeira iniciativa de premiação de trabalhos na área de design de interação.

A IxDA, Interaction Design Association, acaba de anunciar a uma competição que escolherá os melhores projetos de interação concluídos nos últimos dois anos entre setembro de 2009 e agosto de 2011. O motivo é divulgar a área de design de interação e inspirar designers e empresas com o intuito de aumentar a visibilidade deste profissional.

Serão distribuídos 35 pêmios. Os ganhadores terão enviado trabalhos que permitem uma relação distinta, única e prazerosa de interação entre pessoas, produtos e serviços. Os vencedores serão notificados em novembro de 2011 e oficialmente anunciado na  conferência Interaction|12 em Dublin, Irlanda em fevereiro de 2012.

Participação:

Poderão participar profissionais e estudantes com trabalho de conceito ou produto desenvolvido.

Para participar é necessário ser membro do IxDA, enviar um trabalho finalizado entre setembro/2009 e agosto/2011, fazer o registro em inglês, pagar o valor referente à região 2 se você estiver no Brasil (mais barato… Estudante: $20  Profissional: $120)

Os trabalhos deverão ocupar uma das seguintes categorias:

  • Optimizing – Making daily activities more efficient
  • Engaging – Capturing attention, creating delight and delivering meaning
  • Empowering – Enabling people to go beyond their limits
  • Expressing – Encouraging self expression and/or creativity
  • Connecting – Facilitating communication between people and communities
  • Disrupting – Re-imagining completely an existing product or service by creating new behaviors, usages or markets

“Criamos o prêmio para celebrar a excelência em nossa área e para incentivar a comunidade mundial de design de interação.” (Janna DeVylder / President, IxDA / Interaction Design Association)

Links úteis:

Insira o seu trabalho no Interaction Awards http://bit.ly/ixdaawards
Regras e taxas http://awards.ixda.org/rules-fees/
Termos e condições http://awards.ixda.org/terms-conditions/
Conferência em Dublin, Interaction|12 http://interaction.ixda.org
Siga no Twitter http://twitter.com/#!/IxDAwards
Colabore no Facbook http://www.facebook.com/InteractionAwards
Matéria no Fast Co Design “Attention Hotshot Interaction Designers Think your work is hot stuff? Then test your mettle, in the first-ever Interaction Awards, held by the Interaction Design Association.”

The museum of me by Intel

É uma exibição de arte sobre “você” para a campanha ‘The Museum of Me’ para promover o processador Intel’s Core i5. Um aplicativo genial revela uma parte ativa da sua vida social digital projetados nas paredes de um museu virtual fotos, vídeos e as palavras mais mencionadas por você no Facebook.

O app “THE MUSEUM OF ME“, classificado como “Produto/Seviço”,  gera um filme de uma exibição de arte sobre alguns momentos sociais no Facebook. É um app externo e se comunica com o Facebook na hora de coletar os seus dados e na hora de publicar as imagens geradas. Como ele, outros aplicativos encontrados no facebook coletam os seus dados e geram paineis de imagens com os amigos mais ativos na sua rede social, como o “Friend Matrix”, classificado como “Sem categoria”. Mas o “Museum of Me” é o melhor que eu já vi.

O resultado é um filme muito bem elaborado, não publicado no Facebook, que leva você em um passeio num museum bem familiar para apresentar “você” e um resumo da sua vida social. Ele mostra suas preferências, seus amigos, suas fotos, vídeos e palavras.

Embora genial, a idéia pode ser desaprovada por alguns que se sentem invadidos, o que de fato acontece. Megan O’Neill no seu artigo “Intel Museum Of Me Creates A Visual Archive Of Your Social Life” diz:

it a little unnerving that Intel was able to display “me” as accurately as they did.  In the exhibition of my friends it displayed pictures of my two best friends, my boyfriend, two of my family members and my brother’s girlfriend.  In the words section it was strange to see my dog’s name, my favorite food and my name repeated over and over and over again.”

Se você não está certo sobre fazer o seu filme saiba o que algumas pessoas falam sobre a inciativa:

“This is a nice way of engaging people, putting yourself at the forefront of technology and linking the brand and technological power of social (and Facebook’s connectors) with the power of a CPU – nice branding. Wonder what data engine there is behind, if any, and if it will get a cross-channel follow-up. So, this is the museum of  me.” ConversionationTube 

E saiba como se parece um vídeo ‘The Museum of Me’.

The Museum of Me : Steven Crader

PROTÓTIPO E STORYBOARD

Outra aspecto que me surpreedeu foi o protótipo do produto final, o filme.
Um produto bem elaborado tem que passar por etapas de ideação para geração do coneito e concepção que pode envolver prototipagem e criação de storyboard. O protótipo de papel é uma forma barata e gostosa de testar idéias de sistemas de interação. Storyboards são necessários para visualizar cenas sequencias de filme ou vídeo.
Para o projeto  “The Museum of Me” foi elaborado um protótipo com um vídeo daquilo que seria esperado como produto final para o usuário do aplicativo – O filme da sua exibição de arte. Além disso este vídeo mostra o conceito do projeto que é pegar pequenas partes de informação do perfil para então criar uma exibição de arte. O vídeo do projeto começa com a idéia de um protótipo de papel para mostrar o conceito do produto e continua, de forma bem elaborada, apresentando as cenas que o filme final teria para mostrar a exibição do “The Museum of Me”.
Protótipo The Museum of Me by Intel

CLASSIFICAÇÃO DE APLICATIVOS NO FACEBOOK

O Facebook mostra uma lista pequena de categorias de aplciativos. Mas fiz uma “pesquisinha” e descobri que podem existir várias categorias de aplicativos:

Divertidos / Jogos / Esporte / Utilidade / Educação / Encontros / Mensagem / Chat / Música / Eventos / Alertas / Fotos / Negócios / Vídeo / Poítica / Moda / Comida e bebida / Viagem / Finaceiro / Celular / Confidencial / Compartilhamento de arquivos

Ufa! Descobri esta classificação num post de 2008  de Ian Cowley onde ele aponta, na época, o tipo de aplicativo mais popular: DIVERTIDOS (“Just for fun” Is most popular Facebook application category). Jogo é a segunda categoria mais popular. O bom é que podemos controlar a permissão e evitar o recebimento de notificações de jogos.
Existem outras categorias de aplicativos como estilo de vida, entretenimento, família e amigos… Existe, ainda, a categoria “SEM CATEGORIA”. Aplicativos que você já deve ter tomado connhecimento são encontrados em “sem acatgoria”: “Fulano respondeu uma pergunta sobre você” “Saiba o que o seu melhor amigo pensa de você” “O melhor momento que fulano passou ao seu lado foi…”. De fato, eu teria trabalho para achar uma categoria para este tipo de aplicativo. … annoying?!
Esta curiosidade sobre categoria de aplicativos no Facebook surgiu quando eu decidi postar sobre o “The Museum of Me” e não conseguia identificar a categoria do aplicativo. Ele foi classificado como Product/Service.

Entrada do Twitter de cara nova: 8 pontos de avaliação

As “Novidades na interface da tela inicial do Twitter”, matéria recentemente publicada no Webinsider, apresenta de forma bem simples e direta os principais motivos que direcionaram o novo projeto de interface da tela de entrada do famoso aplicativo de redes sociais digitais, o Twitter.

De forma simples, a nova interface da página incial do Twitter diminui o  excesso de informações da tela inicial e facilita a vida de quem quer apenas “Logar” ou se “Cadastrar”.  Veja os principais pontos abordados na avaliação da interface antiga e como eles foram tratados no novo projeto/design (adaptado do Webinsider).

Figura 1: Interface antiga e campos de avaliação

1. A marca & busca
Análise
: Os elementos que dão inicio à ordem de leitura são bem empregados.
Novo design: Estes elementos são separados. A marca se torna mais discreta, pois não precisa mais ser imposta –  já se tornou pública.   O “campo de busca” continua e é reforçado pelo slogan “Follow your interests”.

2. Últimos Tópicos
Análise: Desnecessário antes do login ou cadastro. Assim como as hashtags mais comentadas, os tópicos que estão sendo discutidos podem ficar exclusivamente no perfil do usuário.
Novo design:
Exclusão deste elemento da seção inicial.

3. Lista com pessoas que estão cadastradas no Twitter
Análise: A popularização do Twitter exime a necessidade de exibir a quantidade de usuários inscritos para comprovar a qualidade dos serviços oferecidos.
Novo design:  Mantem-se a exibição dos usuários cadastrados sem criar conflito com as informações mais importantes. Uma lista de imagens complementa a nova interface de forma dinâmica onde as imagens alternam com frequencia demonstrando ser uma rede viva e ativa.

4. Os tweets mais em evidência no momento
Análise: Desnecessário como a sessão “últimos tópicos” (item 2).
Novo design: Dados excluídos da seção inicial.

5. Vídeo sobre a nova versão do Twitter
Análise: Os usuários frequentes se habituam com as atualizações ao mesmo tempo em que melhorias são feitas para sanar dúvidas mais frequentes. Portanto este vídeo pode ser utilizado como tutorial em uma seção exclusiva para novos usuários.
Novo design:  Retirado da tela inicial.

6. Cadastro
Análise: O botão que leva até a página de cadastro está bem evidenciado, mas disputa e invade o espaço dos campos de “Login” e “Senha”. O usuário só pode entrar seus dados depois de acessar uma nova página.
Novo design: O cadastro é feita na prórpia tela inicial, tornando a operação mais simples, intuitiva e evitando fadigas. Agora esta área está claramente separada do espaço de Login e Senha.

7. Login & senha
Análise: Ponto muito criticado, pois, para acessá-los, o usuário deve clicar uma vez para que os campos sejam exibidos, para só então, inserir os dados. Caso os dados estejam errados, o usuário é direcionado para uma nova página onde o foco é totalmente centrado nesses campos.
Novo design: Campos de “Login” e “Senha” estão expostos na página inicial e o usuário tem uma redução de um clique na operação. Ao clicar em um dos campos de inserção de dados, este é evidenciado a partir de um clareamento da área e caso os dados inseridos estejam errados, o usuário é direcionado para uma nova página, onde o foco é totalmente centrado nesses campos.

8. Mapa do site
Análise: Termos de uso, links para informações secundárias e trocar a linguagem.
Novo design: Termos de uso, links para informações secundárias e trocar a linguagem. As linguagens também já começam expostas, reduzindo um clique desta operação.

Figura 2: Nova interface do Twitter

Resultado: Uma interface limpa, simples e objetiva. Agora é só “Follow your interests” ou “Suivez vos passions” ou “Folge deinen interessen” ou “Segui tuoi interessi” ou “Sigue lo que te interessa” ou …. poxa, ainda não tem em português*?! Mas de qualquer forma: “Siga o que lhe interessa”.

* O Twitter está disponível, hoje, em 10 línguas: inglês, francês, espanhol, alemão, italiano, koreano, turco, japonês e russo. E se você souber qualquer uma destas línguas ou ainda indonésio e turco você pode ajudar o Twitter nas traduções. Acesse twitter.com/translate e siga @translator para as últimas atualizações.

Fonte: Novidades na interface da tela inicial do Twitter, Webinsider, 28 de abril de 2011

Mídias sociais ou redes sociais?

Enquanto escrevia um artigo sobre Marketing promocional e mídias sociais me surgiu a dúvida sobre qual termo utilizar (Redes Sociais X Mídias Sociais). Eu acreditava ser “mídias sociais”, afinal eu já tinha definido até o título do artigo com este termo. Mas de vez em quando meus dedos escreviam “redes sociais” – dedos danados! Então fiz uma rápida pesquisa para ter certeza que  blog e microblog (ferramentas deste projeto de pesquisa) fazem parte do que se entende por “mídia social”.

Como sugere Raquel Recuero, a internet é uma rede digital de comunicação que estabelece o que existe de mais atual nas relações sociais. O seu livro Redes Sociais na Internet fala dos sites de redes sociais, ou seja, sistemas que permitem comunicação entre atores sociais por meio de computador.

De forma bem objetiva, Rodrigo Gabriel Piris me ajudou a entender a diferença entre os termos que ele define da seguinte maneira: “Rede Social é uma comunidade ou rede de pessoas que não está limitada a uma estrutura ou meio (mídia)”Mídia Social é um meio que uma determinada Rede Social utiliza para se comunicar“.

No blog Observando Mídias Sociais os autores definem a rede social como qualquer grupo de relacionamento (amigos) que aconteça offline. Mas na hora de explicar mídia social eles citam as difinições da Wikipedia dizendo que o termo seria antigo e poderia ter sido utilizado para representar a producção de conteúdo por grandes grupos de pessoas a serem  disponibilizados para muitas outras – um livro seria considerado uma mídia social. Sendo assim, hoje deveríamos estar falando sobre “Mídias Digitais” ou “Ferramentas de Mídias digitais” representadas por sistemas online que permitem interação e colaboração social.

Perfeito! Então agora temos: Redes Sociais, Mídias Sociais e Mídias Digitais.

E agora? Mídias Sociais ou Mídias Digitais?

Além do que já parece estar claro, uma Mídia Digital pode significar, também, suportes para guardar e portar dados (CD/DVD) (wikipedia). Um vídeo ou uma fotografia também podem ser mídias digitais.

O que está faltando então? COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO!

Ok. Chega de complicar. Cito Rodrigo Gabriel Piris: “Apresento-lhes o DMC! Digital Media Collaboration.” Post publicado em fevereiro de 2010 que sugere a utilização da sigla DMC para representar (1) Redes Sociais que utilizam ferramentas tecnológicas para se comunicarem ou apenas (2) Mídias Sociais Digitais que permitem a comunicação e colaboração entre os atores sociais de uma rede.

Conclusão: Gosto do termo sugerido por Piris. Mas tenho uma tendência a usar temos em português. Então estou em dúvida sobre como utilizá-lo:

1) MDC – Mídias Digitais Colaborativas

2) CMD – Colaboração com Mídias Digitais

Acho simples, adequado e completo. Só precisa saber qual você prefere.

Marketing Digital

Minha mais recente ocupação é desenvolver um projeto utilizando apenas mídias sociais para criar o reconhecimento de uma loja e sua marca e aumentar o seu volume de vendas.

O exercício está sendo bem dinâmico e rendendo muitas idéias legais. Dentre os materiais que tenho encontrado para me ajudar a entender estatísticas e pesquisas já realizadas na área me deparei com esta apresentação da NURUN, uma super empresa de marketing digital (com escritórios em vários países, um deles em Montreal). São resultados de uma pesquisa (não tão recente, mas interessante) que mediu a influência da internet no poder de decisão de compra.

Dado interessante desta apresentação: Sozinhos, divulgação de informação numa página web, possibilidade de comparação entre preços ou comentários de internautas não batem o poder de influência que possuem as grandes mídias de marketing. Mas combinados, este serviços fazem da internet uma grande ferramenta de marketing.

Voilá! Influence des médias sur les décisions d’achats: Internet, premier média sur l’influence et sur la confiance. Octobre 2009.

 

Congresso Internacional de Design da Informação

Nova data para envio de resumos de artigos: 17 de abril.

5º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação

%d bloggers like this: